linkedin

Originalmente publicado no Administradores.com

Você tem perfil no LinkedIn? A rede social para profissionais está cada vez mais relevante. Segundo dados recentes, ela inclusive já superou o Twitter em número de usuários ativos, com 259 milhões contra 230 milhões do microblog. Este crescimento não indica exatamente que ela está ocupando o lugar de alguma outra plataforma, mas consolidando o próprio, que é bem específico e precisa ser compreendido pelos usuários. Digo compreendido porque, apesar dos grandes números do LinkedIn, muitas pessoas ainda não entenderam a internet como uma ferramenta de crescimento pessoal e profissional, se limitando a compartilhar frivolidades em qualquer espaço ou apenas consumindo entretenimento.

A web é mais que lazer: é uma forma simples e democrática para aprender, fazer contatos, encontrar oportunidades e construir uma reputação. Neste sentido, o LinkedIn é um ecossistema a ser considerado e desbravado. O fato de ele ser voltado para relacionamento profissional possibilita compartilhar as experiências e trajetória de forma bem completa, além de ser um ponto de encontro com pessoas que também estão interessadas em se movimentar profissionalmente. É um ambiente para trabalhar o seu “personal branding” e ganhar influência.

Muito mais que um curriculum vitae

Um dos atrativos mais óbvios do LinkedIn é que o perfil pessoal pode trazer um resumo de toda carreira do usuário, similar a um currículo. Mas ele vai além, sendo um modo dinâmico de contar experiências, projetos realizados, cursos, conhecimentos específicos e interesses, de forma muito mais rica que aquela folha com título em latim que muitos cansaram de distribuir por aí. E toda esta riqueza de detalhes ajuda você a ser encontrado por quem eventualmente buscar um profissional com seu o perfil.

Outro ponto interessante é a possibilidade de gerenciar de forma mais clara e consciente sua imagem profissional, reservando redes como o Facebook para uma postura mais informal (mas não inconsequente, ok?) e transpondo para o LinkedIn o que você busca transmitir do no dia-a-dia de trabalho, investindo na troca de informações do seu mercado e adicionando as pessoas com quem já trabalhou, agregando contatos.

Construção de networking

O recurso de troca de depoimentos dos perfis, por sua vez, é outro aspecto interessante do LinkedIn. Não confundir com os depoimentos do Orkut: pedindo para que pessoas que conhecem o seu trabalho falem um pouco sobre você e sobre a convivência profissional com elas, você obtém no seu perfil a chamada “prova social”, ou seja, respaldo para o seu trabalho, que vai influenciar a percepção de recrutadores e de qualquer um que acessar a página. Imagine o quanto pode ser válido o depoimento de alguém reconhecido no seu segmento, por exemplo.

Os grupos de discussão do LinkedIn, com diversos temas, são mais organizados que o serviço similar que existe no Facebook, por exemplo, e podem até gerar discussões mais focadas e consistentes, uma vez que o propósito da rede desencoraja off-topics e banalidades. Mais ainda: pela proposta de rede social profissional, muitas das pessoas com quem você mantiver contato nestes fóruns podem acabar virando networking, empregadores ou mesmo colegas. O potencial para cultivar contatos promissores esta lá, de bandeja.

Uma rede para o mercado

As páginas corporativas também têm espaço no LinkedIn, apesar de ainda poderem ser mais bem trabalhadas para aproveitar os elementos que outras redes têm de melhor, como programação de postagens, eventos, métricas mais robustas, etc. De qualquer forma, as empresas podem usar este espaço para registrar sua história corporativa, divulgar novidades sobre suas atividades e novos serviços. Isso com um tom distinto e menos “circense” do que costumam fazer no Facebook. Além disso, o canal também serve para divulgar vagas e encontrar profissionais qualificados.

É preciso se atualizar

Não estou dizendo que todas as pessoas têm que sair correndo e criar perfil no LinkedIn, mas avaliar se ele pode ser útil dentro de seus anseios de trabalho. Esta não é a única rede que pode ser usada para contatos profissionais, obviamente, mas é a mais focada, feita especialmente para isso. De fato, ele tende a fazer mais sentido para empreendedores e pessoas dos meios de comunicação e marketing, que estão abertas a uma troca mais dinâmica, mas há espaço para todo mundo.

O mais importante é não negligenciar a utilidade e potencial de toda essa revolução digital que vivemos. Em poucos anos, como num passe de mágica, as distâncias encurtaram e o acesso à informação ficou quase onipresente. E se o contexto mudou e agora é mais digital, não faz sentido deixar de explorar isso na vida profissional, até por uma questão de acompanhar as tendências. O modo como você lida com seu  trabalho e aprendizado ainda é analógico? Se for o caso, pode ser hora de se atualizar.

Abaixo, deixo um infográfico bem bacana da Maximize Social Business com 17 dicas (em inglês) do que um bom perfil  no LinkedIn precisa ter:

E você, acha importante ter um perfil no LinkedIn? Como vê a gestão da sua imagem profissional na internet? Compartilhe sua opinião e experiências nos comentários ou na fan page do blog no Facebook.